quinta-feira, 19 de outubro de 2017

toy story

Uma história diferente
Por muito atraente
Sobre bonecos que pensam como gente
Possuem vida e são espertos
Carismáticos e carentes
Que vindo de um mundo e fantasias
Querem entre os homens conquistar suas alegrias.

Existe Woody, o xerife
De Andy o preferido
O herói destemido
Até um aniversário específico
Quando de seu posto foi destituído
Pois um brinquedo novo havia surgido
Buzz Lightyear, o novo preferido.

Buzz era de última geração
Luzes, frases e comandos de ação
Um brinquedo de outro mundo
Feito para longa duração
De pano e couro não era
Pois era fruto de uma nova geração.

De pronto chamou a atenção
Causando grande confusão
Grandes poderes pensou possuir
Como patrulheiro o mau destruir
No grupo ficou popular
E woody se sentiu em segundo lugar
Querendo Buzz jogar em algum lugar.

E um dia ao acordar
Viu seu mundo desabar
Tudo desaparecera
Em um deserto de ilusão
Pois seu quarto agora era
Um universo em ação
Expondo aos seus olhos uma grande modificação.

Sua vida em uma caixa estava
Andy, Buzz agora amava
Em meio à dor e aflição
Tomado pela inveja
Woody toma uma decisão
Fazendo o que ninguém almejava
O boneco de Buzz entrega à destruição.

Tomado por distração
Em meia à ilusão
Pela janela é jogado
Por Woody é empurrado
Ao abismo precipitado
Para nas mãos de Sid Ficar aprisionado.


O grupo apavorado
Deixa Woody encurralado
Em ação conjunta
Em prol do patrulheiro
O amigo é jogado
À procura do amigo
No quintal do briguento.

Por Sid capturado
Para outro mundo é jogado
Em meio à dor e aflição
Vendo brinquedos mutilados
Toma em seu peito uma solução
Chamar todos para uma tomada de ação
Criar um plano de salvação.

Em meio à situação
Sem saber o que acontecia
Woody toma uma decisão
Que por pior que pareça
É reunir coragem
E ir ao encontro de Buzz
Para acabar com aquela bobagem.

O inimigo é mau e ardiloso
Não basta ser corajoso
Achar Buzz era crucial
Para fugir logo daquele local
O cão montava guarda
Na porta e na escada
Achar um atalho seria a jogada

O reencontro não foi legal
A mágoa era geral
Buzz não estava contente
Pois seu amigo não tinha sido descente
Em meio à fuga Buzz se desiludiu
E durante a queda seu coração se partiu
E sua estrela quase se estinguiu

Mas Sid não desistiu 
De seu plano, do seu ardil
Colocar Buzz em um foguete era o que queria
Lançá-lo ao ar
Era o que faria
Deixá-lo em pedaços em seu covil.

Mesmo sem esperanças
Todo mundo se reuniu
Em prol do amigo
Que o coração se partiu
Woody despertou
Forças acumulou
E Buzz ajudou

Em meio à confusão
Eis uma grande lição
O destino infalível
Criou uma solução
Em meio ao desespero
Eis que uma estrada é criada
Levando os dois de volta à casa amada

O instrumento da destruição
Vira as asas da salvação
Achando o caminho do caminhão
Encontrando forças na auto-preservação
Acham novamente o caminho da união 
Juntos em uma caixa de papelão 

sábado, 14 de outubro de 2017

Procurando Dory, Lorrane 9º Ano

A história da Dory
É um tanto engraçada
Dory é um peixinho 
E é um pouco desastrada
Ela é meio doidinha
Mas muito animada

A História da Dory
É um pouco preocupante 
Ela perde a memória
Mas acha alguns ajudantes
Marlin e Nemo são os seus amigos
Que são muito importantes

Nessa histórinha Dory perde os pais 
Ela se esquece completamente de procurar
Dory tem esse problema desde pequenininha
E ninguém sabe como curar
Ela é muito bonitinha 
E é da Pixar

Essa é uma aventura 
Meio diferente
Ela perde os pais por um acidente
Ela não esperava que isso acontecesse

Os amiguinhos dela 
Nessa busca o ajudavam
Sem eles não teriam se encontrado
Eles foram muito legais
Ajudaram ela a encontrar os pais



quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Cordel: Up - Altas aventuras, Thomas Ulrich - 9° ano

Essa história começa com dois aventureiros
Que se conheceram há muito tempo
O pequeno e tímido Carl Fredericksen
E sua parceira Ellie
Que o acompanhava a todo momento
Até o dia de seu casamento

Sonhavam em conhecer a América do Sul
Que onde seu herói havia passado
Numa bela vista com o céu azulado
Procurava um pássaro especial
Que ninguém acreditava ter visto um igual
Mas ele era um homem exponencial

Ao envelhecerem Ellie havia partido
E seu Fredericksen agora estaria sozinho
Sua casa os homens queriam derrubar
Levantando um arranha-céu devagarinho
Comandados por um homem de assustar
E ali seu Fredericksen não podia estar

Toc Toc Toc estava a alguém incomodar
Seu Fredericksen foi a porta reclamando
Era um escoteiro perguntando se podia ajudar
Ele respondeu procure a Narceja que me incomoda
E rapidinho Russell foi a procurar
Depois chateado veio andando

Por causa de um acidente na obra
Foram buscar o seu Fredericksen para se mudar
Mas como um passo de magica
Ele fez sua casa pelos a céus voar
Em direção as cataratas fantásticas
Para sua promessa da infância realizar

Enquanto estava a voar houve uma zoada
Toc Toc Toc Fredericksen foi checar
Posso entra?
Russell veio a perguntar
Emburrado ele abriu a porta
Voando Russell veio a entrar



Após um tempo no ar eles
Começaram a descer
Próximo de grandes rochas
Era melhor se esconder
Caindo eles avistaram um abismo
Mas junto com a casa conseguiram se proteger

Depois que o nevoeiro passou
As cataratas seu Fredericksen avistou
Rapidamente o seu medo passou
E sua felicidade a ultrapassou
Mas do lado errado da montanha lá estava
E novamente rabugento ficou

Decidiram andar até o outro lado
Passando por uma floresta
Russell avistou algo no caminho
Era uma Narceja que a tempo procurava
Era grande e bem colorido
Kevin o nomeou Russel

Kevin os acompanhou viagem
Até um rochedo cheio de neblina
Onde avistaram um homem de estranha linguagem
Era um cachorro na verdade
Isso só podia ser sacanagem
 Aquilo era uma improbabilidade

Ele dizia que seu mestre o fez falar
Com essa coleira de arrasar
Ele tinha um objetivo
Que era o pássaro especial a encontra
O Kevin apareceu
E Dug enlouqueceu

Dug pediu para levar o Kevin como prisioneiro
Para seu chefe e Fredericksen deixou
Dug contatou seus companheiros
Que rapidamente compareceram
Para levar seu Fredericksen e Russell
Ao chefe perto de um desfiladeiro



Vários cachorros apareceram
Os cercaram como presas
E o chefe apareceu
Para a surpresa de todos
Fredericksen o reconheceu
Era Charles Muntz o herói

Muito contente Fredericksen foi-se apresentar
Muito gentil Charles Muntz o convidou a entrar
Para comerem algo preparado por seus cães
E para descansar
Mostrou suas coleções
Que Fredericksen reconhecia

Após o jantar Charles algo queria mostrar
Sua pesquisa sobre a Ave especial
Mas ao contar a história Fredericksen congelou
Percebeu que se travava da Kevin
E que Charles endoidou
A ave iria matar e provar que certo estava

Fredericksen tentou ir embora
Mas Russell a boca abriu
E a Kevin condenou
Eles correram para fugir
E os cães os cercaram
Mas Dug os ajudou

Os cachorros os perseguiram
Mas os perderam
Pois havia um desfiladeiro
Por ajuda-los Dug apanhou
E Kevin nessa correria toda
Sua frágil perna quebrou

Fredericksen prometeu a Russell
Que levaria Kevin para casa
Sem sinal dos cães e sem nenhuma desgraça
Ao chegar à casa de Kevin
Algo horrível aconteceu
Charles aquele maníaco apareceu



Atirou fogo na casa
E Kevin prendeu
Fredericksen tinha duas escolhas
Salvar sua casa em chamas ou Kevin
A resposta a Russell surpreendeu
Fredericksen para apagar as chamas correu

Desistiu de tudo
E se foi fazer seu objetivo principal
Levar sua casa para a beleza natural
Russell jogou suas medalhas no chão
E para um canto a chorar
Fredericksen vou ser um homem sem pensar

Entrou em sua casa
E foi-se acomodar
Relembrar das memórias que deixou passar
Ao lembrar de sua promessa com sua amada
Veio a consciência que estava errado
E foi se redimir com Russel  

Mas ao sair de casa
Era tarde demais
O garoto já tinha ido atrás de Kevin
Com balões amarrados no corpo a voar
E Fredericksen começou a pensar
Como a casa voltaria a voar

De tudo da casa jogou
E a Russell e Kevin salvar
Toc Toc Toc novamente a ouvir
Mas com um sorriso a ir
Era Dug triste com sigo mesmo
Mas Fredericksen o recebeu de braços e um beijo

Invadiram o Zepelim
E a Russell salvaram
Fredericksen o deixou em sua casa salvo
E atrás de Charles foi
Dug foi enfrentar junto
E contra o pior cão conseguiu ganhar




Fredericksen foi a Kevin salvar
Enfrentando seu herói de infância
Em cima do Zepelim a lutar
Para todos salvar
Sua amada casa ele teve que deixar
Jogando-a junto com seu ídolo

Após tudo isso
Temos uma cena impossível não chorar
Vendo o Russell sua medalha ganhar
Pelo velho seu amigo a dar
Depois contando carros em uma calçada

Tomando sorvete com pessoas amadas...Fim


Cordel: Procurando Nemo, Mariana Rizzieri Neves - 9º ano

Hoje contarei uma história.
De um peixe chamado Nemo,
Essa historia se passa no mar
E é interessante para os pequenos
Uma animação bem antiga
Contarei agora mesmo.

Marlin e Coral eram peixes palhaços
Que quatrocentos ovos botaram
No recife foram morar
E um ataque de tubarão sofreram
Sobrando então o ovo e o pai
Mas, no fundo do mar continuaram

Os anos foram passando
Nemo cresceu e o pai envelheceu
O dia de ir a escola chegou
Indo para universidade se perdeu
Pois não sabia o caminho
Depois de um tempo encontrou

A escola era em alto mar
E Marlin tinha medo
De deixar o filho lá
E ele bater no rochedo
E perder sua única família
E acabar sofrendo
Com toda essa preocupação
Nemo briga com seu pai
E para provar que sabe se virar
Para a área de perigo vai
E acaba sendo capturado
Por que em uma armadilha cai

É capturado por um humano
E vai parar nas mãos de um dentista
Dentro de um aquário
De um especialista
Em peixes
Que eram otimistas

Marlin fica desesperado
E a aventura começa
Quando ele sai em busca do filho
Tudo fica mais engraçado
Quando ele encontra Dory
Que tem problema de memória na cabeça

Marlin pergunta a Dory
Se Nemo ela avistou
Ela diz que sim, mas na verdade
 nadinha notou
Ele pergunta por onde ela o viu
Mas do assunto ela fugiu
Um tubarão apareceu
Em meio a essa confusão
Tornando- se um amigo
Disposto a ajudar nesta situação
Do outro lado do pacifico
Nemo sofre com a sua emigração

Sem saber que esta sendo procurado
Pensa em um plano de fuga
Os outros peixes do aquário
Com ele madruga
Pensando tão lento
Quanto tartaruga

A aventura de Marlin e Dory
De boca em boca vai passando
E Nemo descobre
Que seu tempo esta acabando
Longe de seu pai
Que esta o procurando

Marlin chega a seu destino
Com o Pelicano ajudando
Seu filho querido
Ele acaba encontrando
Dizendo como sua falta sentiu
E para casa voltando

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Cordel: Divertidamente Livia Tatari 9° ano

Na mente da Raily
Habitam sentimentos 
Às vezes há confusões 
Mas sempre acabam em entendimentos 
Nesse cordel vou falar de todos eles
Destacando todos os seus engenhos

Vou começar pela tristeza
Sempre está para baixo 
Vive fugindo do roteiro 
Sem aquietar o faxo
A cor de sua pele é azul 
E fala sempre muito baixo 

E que tal falar da Nojinho?
Nojinho é fresca
Odeia as coisas antes mesmo de provar
Ignorando até mesmo uma sobremesa 
Ela fez Raily odiar brócolis 
E é nisso que ela se contenta

Medo é um caso complicado 
Ele não consegue ser corajoso 
Tem sempre um pé para traz
Deixando até de participar de um jogo
Ele quer a segurança da Raily
Mas acaba exagerando um pouco 

Raiva é muito difícil 
Ninguém o controla 
Sempre perde a razão 
Falta algo em sua cachola 
Ele deixou a Raily com raiva 
Ao contar seu dia na escola 

Por fim, o sentimento mais lindo
A Alegria sempre pensa posivito
Faz a Raily rir 
Algumas vezes até sem motivo 
Sem ela, a Raily não tem vida
Ela fica com um olhar sem brilho 







segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Cordel: Wall-E Paulo Henrique 9° ano

Essa é a história
De um robô solitário
Que vivia numa terra destruída
Apesar disso era um visionário
Acreditava na humanidade
Ele era extraodinário

Até que um dia conheceu Eva
Ele ficou apaixonado
Mas logo ela precisou ir
Era um momento desapropriado
Para ela ir em sua nave
Na qual Wall-E estava pendurado

Após ter chegado na estação
Viu onde tava a humanidade
Todos em uma nave
Ele viu a sociedade
Onde todos eram alienados
Ninguém conversava nessa realidade

Mas quando conheciam Wall-E
Percebiam o que valia a pena
Não era os bens materiais
Sim ter uma vida serena
Conhecer um amor
Ter uma amizade plena

Agora todos queriam ir pra casa
Mas o comandante-robô não deixava
Não queria sair daquela vida
Onde a todos comandava
Precisava se livrar de Wall-E
Que uma revolta criava

Ele tinha uma ideia
Manda-lo para o espaço
Wall-E conseguiu escapar
Em Eva dando um abraço
Ela o levou
Para um lugar feito de aço

O comandante teve outra ideia
Manda-los para o lixão
Era o lugar mais suxo da nave
Não teriam solução
Enquanto isso o resto do povo
Aumentava a revolução

Ele ficou preso no lixo
Ia ser despachado
Tudo parecia perdido
Mas nesse momento aparece um novo aliado
Apesar de ser salvo
Wall-E estava danificado

Começou uma revolta
Após Wall-E ser consertado

Pode voltar para ajudar
E sair de onde estava estagnado
E o comandante
Parecia finalmente derrotado

Ao chegar lá tiveram uma surpresa
Não era como tinham imaginado
Mesmo assim
Ficaram maravilhados
Voltaram pra casa
Que eles mesmos tinham estragado



domingo, 8 de outubro de 2017

Cordel: Valente Ágatha Sousa 9° ano

Este é um cordel sobre o filme Valente da Pixar espero que gostem!!!!!!!!!!
Boa leitura! :):)

Preste muita atenção
No que agora vou contar
Uma menina muito esperta
Que sabe cavalgar
Atira com o arco e flecha
Ela é de arrasar

Quando ele era pequena
Ganhou um arco de seu pai
Num piquenique na floresta
Começou a atirar
A flecha foi parar longe
Ela foi buscar

Um grande urso apareceu
A pequena começou a gritar
Sua mãe a pegou
E foi longe a cavalgar
O seu pai enfreitou o uso
E uma perna perdeu ao lutar

A menina cresceu
Sua mãe sempre há lhe ensinar
Logo veio a noticia
Que ela deveria se casar
Ficou braba com a noticia
Fugiu a cavalgar

No meio da floresta
Ela achou um lugar
Para a feiticeira um pedido ela faz
Mas pela culatra sai
Sua mãe vira um urso
Que todos correm atras

Um urso no castelo não é fácil de esconder
Imagine mais três pequenos
Que se transformaram ao comer
O docinho da feiticeira
Que  faz tudo acontecer
Os pestinhas ajudaram a mãe a se esconder

Pra floresta elas correram
E umas luzes as guiou
Nesse caminho encontraram
Algo que as salvou
A historia de um reino que desmoronou
Que ao intepretar uma resposta encontrou

Na floresta uma grande busca
Pela ursa mãe começa a acontecer
Com fogo, espada e pedras
A ursa mãe quase veio a morrer
Mas a Valente Merida consegue interromper
Nesse momento um grande urso aparece ao entardecer

A ursa mãe e o grande urso começam há lutar
Pela sua filha a mãe o queia derroatar
Batidas e arranhões
Foi de assustar
Mas no fim o grande urso derrotado
livrou o espirito do irmão há voar

De volta ao castelo
A mãe, ursa não é mais
com uma boa explicação
Merida noiva, não é mais
E tudo acaba bem
O reino está em paz

Capa do cordel